Rolim de Moura (RO): Servidores Públicos Municipais correm o risco de passar o Natal sem pagamento

O Natal da maioria dos servidores públicos municipais de Rolim de Moura vai ser mais magro, este ano. Os servidores estão assustados e com medo de passar o natal sem receber, uma vez que cada um já tinha seus planos. Desde 2015 que os servidores não recebem em dias. Motivo no qual gera em toda a categoria desmotivação e indignação.

O executivo municipal tem neste  ano de 2016, 207  cargos comissionados. Porem para o ano de 2017 diminuiu para  185 portarias.  Mas mesmo assim vai  gastar  á mais com sua estrutura administrativa organizacional.

Segundo o executivo municipal a  maior preocupação é com o pagamento do salário dos servidores, mas ate o momento isso ficou só em palavras, porque ate agora nunca cumpriu.

Essa atitude deixa  ainda mais frustrado muitos pais e mães de famílias que prestaram seus serviços o ano inteiro esperando terem seus direitos respeitados e um final de ano tranquilo. Até o momento o executivo pagou apenas o 13º salário, o que deixa todos os servidores apavorados.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais da Zona da Mata (SINSEZMAT) Jose Luiz Alves Felipin, os servidores estão  tendo que aguardar  até o dia 23 para receber seus salários. Haja vista que hoje é dia  20 de Dezembro, e os servidores não receberam a remuneração do mês de Novembro, o que se pode ver é o descaso com os pais de família.

Felipin conta que faz contatos com regularidade com a Prefeitura para obter informações sobre a liberação do pagamento, mas não obtém respostas positivas. “A gente liga para a Prefeitura e o que eles informam é que não tem uma data programada”.

Jose Luiz  reafirma que o Sindicato irá continuar buscando alternativas para que o pagamento seja realizado, uma vez que o já foram acionados os órgãos competentes  para que alguma providência seja tomada e esses trabalhadores tenham seus direitos respeitados.

“Nós estamos reivindicando o nosso pagamento”. Nós trabalhamos o mês todinho. Temos família para sustentar. Temos contas para pagar e não estamos aqui pedindo favor.

Fonte: Assessoria/SINSEZMAT