Rolim de Moura (RO): Ex-mulher nega ter mandado matar pecuarista, mas amante desmente e confessa toda trama

Da Redação

Acusada de mandar matar seu ex-companheiro, o pecuarista Eduardo Bavaresco Dias, conhecido como “Nino”, Eliatriz Azevedo Pereira negou, durante depoimento na 1ª Vara Criminal da comarca de Rolim de Moura (RO), ter qualquer participação na ação criminosa. A única afirmativa feita por ela foi sobre a relação extraconjugal com Eduardo Seman da Costa. O rapaz também é réu no mesmo processo de tentativa de homicídio.

Fotografia retirada do facebook
Fotografia retirada do facebook

Eliatriz Azevedo Pereira disse que Eduardo Seman da Costa se apaixonou por ela, porém não acreditava que ele pudesse fazer algo contra o “Nino”, seu marido na época dos fatos. Com relação ao réu Juciano Oliveira Bento, vulgo “Nego Jú”, autor do disparo, ela declarou que apenas deu carona para leva-lo até o distrito de Jardinópolis (RO), não sabendo informar sobre o tiro efetuado no seu ex-marido.

Mas, seu amante e réu confesso, Eduardo Seman da Costa, que trabalhava como personal numa academia em Rolim de Moura (RO) e tinha como aluna a ré Eliatriz Azevedo Pereira, disse que tanto ele, quanto ela planejaram o crime, contratando inclusive “Nego Jú” com objetivo de ceifar a vida do pecuarista. Em seu depoimento, o rapaz negou qualquer participação do irmão Rafael Seman da Costa na prática criminosa.

Eduardo Seman da Costa – Fotografia retirada do facebook

Ainda, durante seu depoimento, Eduardo Seman da Costa afirmou que todas as vezes que encontrou com “Nego Jú”, a ré Eliatriz estava presente. “Ela fez a proposta e passou detalhes da vítima”, declarou o personal.

Saiba mais sobre o caso

Consta na denúncia que, no dia 20 de janeiro de 2016, na zona rural de Rolim de Moura (RO), os réus Eliatriz Azevedo Pereira, Eduardo Seman da Costa, Juciano Oliveira Bento, vulgo “Nego Jú” e Rafael Seman da Costa mediante paga ou promessa de recompensa, motivo torpe e emboscada, tentaram matar mediante disparo de arma de fogo a vítima Eduardo Bavaresco Dias.

Eliatriz Azevedo Pereira, companheira do fazendeiro, e Eduardo Seman da Costa mantinham um relacionamento amoroso extraconjugal e decidiram dar cabo da vida da vítima, para que pudessem ter a vultuosa soma de dinheiro pertencente a Eduardo Bavaresco Dias.

Ainda de acordo com a peça acusatória, Rafael Seman da Costa, irmão de Eduardo (amante), indicou a este o denunciado Juciano Oliveira Bento como pessoa que poderia aceitar executar o crime mediante pagamento. Sendo assim, os denunciados Eduardo e Eliatriz passaram a ajustar a conduta criminosa com o réu Juciano, por intermédio de Rafael, oferecendo-lhe o pagamento de R$ 50.000,00, que seria entregue meses após a execução do delito, quando a denunciada Eliatriz tivesse acesso ao dinheiro da vítima.

Também é dos autos que os denunciados Eduardo e Eliatriz, dias antes da data do fato, buscaram o denunciado Juciano no distrito de Jardinópolis, para mostrar-lhe as características do automóvel da vítima e a casa onde morava. Eduardo teria providenciado a arma do crime e as munições.

Processo nº 0000166-57.2016.822.0010

Fonte: Comjustica.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 15 =