Luiz Paulo DESTACA – Vergonha alheia por conta da profissão

Por meio do aplicativo whatsapp vários amigos, e até mesmo outros desconhecidos, encaminharam nesta quarta-feira (14.12) um vídeo que iniciava com o seguinte conselho: – De repente não está satisfeito com o salário, dou uma dica para você, faz concurso para juiz, para ganhar salário bom. É policial civil, faz para delegado. Já é delegado e considera o salário ruim, faz para procurador. Ainda acha ruim, então vira político.

Sinceramente, trata-se de uma manifestação lamentável; postulada por quem não tem conhecimento das mazelas que a maioria dos servidores públicos do Estado de Rondônia vivenciam, atualmente, para cumprir a contento com suas obrigações, inerentes à função que desempenham.

Diante disso, e antes que abordem algum comentário a respeito deste articulista, faço questão de me apresentar: – iniciei minhas atividades no ramo da comunicação em 2001; ano que criei e fundei o jornal eletrônico www.rondonoticias.com.br. Depois trabalhei em outros veículos de comunicação em Porto Velho (RO) até exercer o cargo de assessor de imprensa do Poder Judiciário de Rondônia, durante dez anos.

Pois, pela experiência vivenciada no serviço público e no seio da comunicação, afirmo categoricamente que, independentemente do cargo exercido no serviço público, sempre haverá uma reivindicação a ser pleiteada, ou seja: do juiz ao técnico judiciário, do procurador de Justiça ao analista, do coronel ao soldado; cada um irá buscar aquilo que for melhor para sua categoria.

Ressalto ainda que a livre manifestação de pensamento pode ser exercida conforme preceitua a Constituição Federal do Brasil, porém atacar uma determinada classe de trabalhadores que buscam melhores condições de trabalho me faz sentir vergonha alheia por conta da profissão, que exerço.

Na minha humilde opinião, existem outras maneiras de chamar atenção do telespectador sem atingir àqueles que, por não terem encontrado outra via de diálogo com o governo do Estado de Rondônia resolveram trocar o aconchego dos seus respectivos lares pelos corredores da Assembleia Legislativa.

E digo mais, acredito que muitos daqueles policiais civis que hoje buscam melhores condições de trabalho estão no cargo por opção e amor a profissão. Portanto, antes de criticar, faça uma visita à delegacia mais próxima da sua residência para constatar que falta praticamente tudo, menos dedicação e comprometimento no serviço prestado a população.

Luiz Paulo Batista
Jornalista – DRT Nº 841/RO
Whatsapp: 69 98412-2006
E-mail: comjustica1@gmail.com