Dissertação de conselheiro-substituto do TCE-RO sobre auditoria operacional é aprovada pela Unir

Foi aprovada no último dia 19, em defesa pública realizada nas dependências da Escola Superior de Contas (Escon) do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RO), a dissertação de mestrado do conselheiro-substituto Francisco Júnior Ferreira da Silva, intitulada “Auditoria operacional como instrumento de modernização de políticas públicas regionais: um estudo de caso no Tribunal de Contas do Estado de Rondônia”.

O trabalho, cujo orientador foi o professor doutor Flávio de São Pedro Filho, foi apresentado e aprovado pela banca examinadora do Mestrado Profissional em Administração Pública (Profiap) da Universidade Federal de Rondônia (Unir), composta pelos professores doutores Mariluce Paes de Souza, Theophilo Alves de Souza Filho e Joliza Chagas Fernandes (esta, como membro externo), contando ainda com a participação do conselheiro do TCE-RO, Benedito Antônio Alves, como membro técnico.

Na apresentação aberta ao público, o conselheiro-substituto Francisco Júnior expôs, de modo sucinto, pontos de sua dissertação de mestrado, enfatizando as auditorias operacionais, instrumento utilizado pelos Tribunais de Contas, primordialmente, para apontar soluções para possíveis problemas ou falhas detectadas nas administrações públicas.

A partir de um referencial teórico, o mestrando avaliou o modo como ocorrem, no âmbito do TCE-RO, as auditorias operacionais, fazendo um recorte temporal de ações dessa natureza no período de 2012 a 2015. Ao final, além de constatações sobre as auditorias operacionais feitas pelo Tribunal de Contas, Francisco Júnior ainda fez sugestões com foco no aprimoramento da realização desse procedimento pela Corte de Contas.

A banca examinadora, presidida pelo professor orientador Flávio São Pedro, também inseriu contribuições ao trabalho acadêmico-profissional, cabendo ao conselheiro Benedito Alves pontuar sobre a questão técnica envolvendo as auditorias operacionais, haja vista ter sido ele o relator de uma das ações de grande repercussão nessa área: a auditoria coordenada feita pela Corte de Contas rondoniense em unidades de conservação do Estado, em parceria com outros TCs da Amazônia Legal e o Tribunal de Contas da União (TCU).

Fonte: TCE-RO