Deputado Aélcio da TV chora ao lembrar da injustiça com filho durante processo eleitoral

Durante seu pronunciamento nas falas de liderança na sessão ordinária desta terça-feira (4), o deputado Aélcio da TV (PP) destacou o processo eleitoral e de forma emocionada falou da agressão via aplicativo de troca de mensagens em que informava que seu filho, então candidato a vereador, havia sido preso pela Polícia Feral com dinheiro para compra de votos.

O parlamentar parabenizou o deputado Leo Moraes (PTB) ao qual o seu partido, o PP, está coligado, bem como aos demais parlamentares que estavam envolvidos no processo eleitoral em suas cidades e que saíram vitoriosos.

Dentre eles, destacou o deputado Lebrão (PMDB), Cleiton Roque (PSB), Jean Oliveira (PMDB), Alex Redano (PRB), Adelino Follador (DEM), Jesuíno Boabaid (PMN) e registrou a vitória do seu filho, Luan da TV (PP) como vereador, além da sua assessora da comunicação, Cristiane Lopes (PP).

Ressaltou que no processo democrático existem os vitoriosos e os que não logram êxito, e destacou a participação do deputado Ribamar Araújo (PR) na campanha como candidato a prefeito da capital.

Lamentou que no processo, mesmo quando se joga limpo, existem aqueles que insistem no jogo sujo, como o que fizeram com seu filho, distribuindo mensagem pelo WhatsApp dando conta de que ele teria sido preso pela Polícia Federal com R$ 140 mil em dinheiro, para compra de votos.

Afirmou que várias pessoas, fazendo uso desta falsa notícia, “abordavam eleitores nas filas de votação mostrando esta mentira. Inclusive candidatos a vereador, que não foram reeleitos, estavam fazendo este jogo sujo”.

Apesar de tudo isso, “de todo este sofrimento pelo qual a família passou, Luan logrou êxito, conseguindo 2.768 votos e se elegeu sem comprar votos, visitando as pessoas de porta em porta”.

O parlamentar disse que sempre achou errado comprar voto e que acredita ser possível fazer política de uma forma diferente, honesta e justa, sem gastar fortunas. “Quem compra votos não merece respeito”, citou. Concluiu questionado a todos: “será que a pessoa honesta não pode entrar no mundo político?”

Apartes

Lebrão (PMDB) lamentou o ocorrido com o filho do parlamentar e ressaltou que o povo sabe reconhecer o seu trabalho e a voz do povo é a voz de Deus, que culminou com a vitória e disse ter certeza do bom trabalho que Luan realizará.

Laerte Gomes (PSDB) afirmou que a dor maior é por ter ocorrido com o filho, mas afirmou que agora é melhor esquecer e comemorar a vitória.

Lúcia Tereza (PP) disse que enquanto houver amor entre pai e filho haverá espaço para uma política honesta para homens e mulheres. “Infelizmente está faltando amor nas famílias. A sua emoção é a nossa”, acrescentou.

Cleiton Roque (PSB) disse que a calúnia e difamação são as armas dos covardes. Afirmou também ter sido caluniado durante o processo eleitoral em Pimenta Bueno, mas que hoje estas pessoas têm de amargar a derrota.

Edson Martins (PMDB) citou que recebeu a informação e imediatamente avisou aos que o cercavam que não era verdade. “Luan é um jovem que foi eleito democraticamente, que seguirá os passos do pai e será um excelente vereador”, destacou.

Fonte: ALE/RO – Geovani Berno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 3 =